Rádio Central Angico: O Sucesso Toca Aqui!

.

sábado, 25 de abril de 2015

'São João está mais comercial do que cultural', diz cantor do Estakazero

'São João está mais comercial do que cultural', diz cantor do Estakazero
Banda é liderada pelo cantor Leo Macêdo. Foto: Bruna Castelo Branco / BN

Com 14 anos de história, a banda Estakazero se prepara para dar a largada de mais um São João. Neste sábado (25), às 22h, o grupo fará um show no Boteco do Gaúcho para gravar um novo disco para a temporada de festas juninas 2015. Líder da banda, Leo Macêdo esteve no Bahia Notícias para falar sobre os festejos de meio de ano e as mudanças no mundo forrozeiro. "É um momento especial para todo forrozeiro, a chegada desse período de abril até julho. A correria é muito grande e para a gente não poderia ser diferente. A Estakazero está realmente a todo vapor, fazendo vários shows e com a agenda bem cheia", contou o cantor, que ainda enfatiza a importancia do período para o ritmo. "Todo mundo fala que o forró ganhou o mercado, não é mais um ritmo ouvido apenas no São João. Mas a gente sabe que no São João a valorização dos artistas é muito maior, a agenda fica muito mais cheia, a mídia procura os artistas, a música é mais escutada, nosso trabalho é mais reconhecido. Então é um momento especial para todo forrozeiro, a chegada desse período de abril até julho", desabafa.

O Estakazero surgiu em 2001, fazendo sua primeira turnê junina no ano seguinte, já com 42 shows apenas no mês de junho. Entre 2003 e 2004 lançaram o primeiro álbum "Botando o Pé na Estrada" fazendo sucesso com hits como "Encosta Ne'u", "Janaína" e "Sapatilha 37". "Não tem segredo, é trabalho mesmo, né? A gente se dedica, eu sou totalmente dedicado a essa função. Além de cantor, eu também sou diretor artístico da banda, faço toda a pesquisa de repertório, todo o trabalho passa pela a minha mão. Existe uma identidade, cuidado, comprometimento. É um trabalho que eu faço com muito amor e dedicação, e eu acho que o resultado é esse", conta Macedo sobre o fato de a banda manter seu sucesso mesmo após tanto tempo. O baiano destaca também que foi preciso mudar. Ao ultrapassar a marca de 10 anos, a banda procurou acompanhar o segmento artístico e se reinventar.


"A gente sabe que a faixa etária do público que vai pra rua é entre 20 e 30 anos. Depois o cara casa, agora ele não vai mais pra festa, vai pro cinema, tem filhos. E o público jovem vai se reciclando, se renovando, e a cada ano você tem um mercado novo, uma galera nova na rua, que está com outros anseios, ou tem outra linguagem, outras formas de se divertir. Então a gente sentiu, quando fez 10 anos de carreira, essa necessidade de se transformar, se reinventar. A gente completou a banda, não tinha guitarra, não tinha teclado, passamos a colocar esses elementos sonoros porque a gente entendeu que precisava se renovar, para ter uma renovação de público e continuar trabalhando", fala Leo sobre a mudança. Ainda relacionado a mudança de público que destaca, o intérprete de 'Lua Minha' acredita que misturar ritmos não seja um problema para a banda. "Sertanejo, arrocha e forró se misturam muito na música hoje em dia. E isso realmente é um fenômeno, tanto que nos shows a gente toca. Em uma parte a gente faz arrocha, outra de sertanejo. Pra agradar a galera, o jovem. Lógico que a gente não perdeu a nossa essência, a gente toca nossas músicas de sucesso, de desde o início da carreira. Eu costumo inclinar mais o show, né? A depender do local a gente faz mais um show de forró autêntico, pra um público mais jovem, a gente direciona", enfatiza.


Depois de um tempo sem novos sucessos, a banda lançou em 2011 o single "Balada (Tchê Tchê Rere)", que pouco tempo depois foi regravado por Gustavo Lima e se tornou hit internacional na voz do sertanejo. Sobre o assunto, Leo conta que tem orgulho de ter iniciado a história da canção."Eu acho, na verdade, que nem Ivete Sangalo, teve uma música tão estourada no mundo inteiro. Europa, Estados Unidos. Fico orgulhoso né? Ter descoberto essa música, gravado ela pela primeira vez... O compositor (Cássio Sampaio) foi um cara que eu descobri também. Dez anos antes de balada, ele compôs ‘encosta n’eu’. E nunca tinha sido gravado antes disso. Acho que é isso aí, os artistas hoje ficam muito nessa briga. Eu não tenho essa preocupação, acho que porque a gente não foi uma banda de uma música só", disse. Mas Leo não deixa de contar que a concorrencia é 'impossível' quanso há interesse de grandes produtores. "A música anda muito mais rápido que o artista. Não tem como a gente disputar com Gustavo Lima. Mega estrutura, o maior empresário do Brasil, que é o mesmo de Jorge e Mateus. Ele viu que a música tava fazendo sucesso aqui no Nordeste, gravou e bombou. A gente aceita isso. Eu tô feliz, satisfeito como meu trabalho, não tenho aquela coisa de ficar com inveja do que é dos outros", destaca.


No próximo dia 08 a banda reinicia os "Ensaios de São João", que já se tornaram tradição em Salvador e, este ano, acontecerão na Arena Fonte Nova. A banda contará com convidados especiais em todas as edições, além do show da banda Pra Casar. Ainda sobre o São João, Leo comenta o crescimento das festas em maior proporção do que as próprias bandas de forró. "É o maior São João do Brasil, aqui né? O São João hoje está mais comercial do que cultural. Cresceu muito, a festa cresceu mais do que os artistas de forró, digamos assim. É questão de demanda de mercado. Você tem muita festa, festas muito grandes... Antigamente eram algumas cidades que faziam. Cachoeira, Cruz das Almas, Senhor do Bonfim. Ai depois veio Jequié, as festas de camisa cresceram muito, se tornaram muito grande. E o movimento do forró não acompanhou. Aí vieram os interesses dos prefeitos também, de agradar o povo", diz. Atualmente a banda trabalha com a música "Eu não sou de ninguém", e promete muito forró eclético neste são joão."Quando a gente tá no palco o que eu mais gosto de fazer é animar o publico. Eu tô no palco para cantar para o público. É isso que a gente vai fazer", finaliza o cantor.

Zoo de São Paulo assiste nascimento de primeira arara-azul-de-lear em cativeiro


Zoo de São Paulo assiste nascimento de primeira arara-azul-de-lear em cativeiro
Foto: Paulo Gil/ Divulgação
Um filhote arara-azul-de-lear, ave em extinção no país, nasceu pela primeira vez na América Latina em cativeiro. Segundo informações do jornal O Estado de São Paulo, o exemplar, nascido no Zoológico da capital paulista, tem apenas dez dias e passará por exame de sangue daqui a dois meses para verificação do sexo. O zoológico tem outros 12 exemplares adultos da espécie, que não ficam expostos ao público.

Foto: Mark Staford/Divulgação
A estimativa é de que, em todo mundo, existam 1,3 mil araras-azuis-de-lear, que são nativas do sertão baiano. Os pais da ave recém-nascida acasalavam há cerca de três anos. O ovo ficou na chocadeira por aproximadamente 13 dias, monitorado pelos técnicos da instituição. Agora, o filhote fica em uma incubadora mantida a 35 graus Celsius e é alimentado com uma papa de ração e azeite de oliva, de três em três horas, ministrada por um biólogo do setor de aves do zoo. 

Exército destrói mais de seis mil armas de fogo recolhidas pelo Tribunal de Justiça da Bahia


Foto: Reprodução

O Tribunal de Justiça da Bahia acompanhou, por meio da Assistência Militar, a operação de destruição de exatas 6.337 armas de fogo pelo Exército brasileiro na unidade da empresa Caraíba Metais, no município de Dias D'Ávila, na Região Metropolitana de Salvador. Além das armas de fogo, nesta sexta-feira (24), foram recolhidas pela Assistência Militar 23.961 munições e 3.220 armas brancas. As armas foram recolhidas nas comarcas do Estado, no período de 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2014. A ação atende à determinação do art. 7° da Resolução n° 134/2011, do Conselho Nacional de Justiça: “As assessorias militares dos tribunais estaduais e federais, no prazo de cento e oitenta dias, devem elaborar ato normativo que discipline a identificação, a guarda e o transporte periódico das armas e munições de todas as unidades judiciárias para o Comando do Exército”. O parágrafo único do mesmo artigo acrescenta que “a remessa das armas ao comando militar deverá ser providenciada pelo menos, duas vezes ao ano”.

Clube de swing quer ser reconhecido como igreja


Clube de swing quer ser reconhecido como igreja
Foto: Reprodução / CBS News / First On 5
Um clube de swing em Nashville (Tennessee, EUA) passou por uma "reforma" e agora quer ser reconhecido como uma igreja. O motivo é menos religioso e mais legal: o reconhecimento fará com que o Social Club possa funcionar perto de uma escola cristã. A nova sede do clube fica perto dos fundos da Goodpasture Christian School, tradicional escola particular para crianças do maternal ao ensino médio. Apesar de discreto, o Social Club foi descoberto após uma carta ser enviada a um governador, denunciando o caráter do clube. De acordo com a agência AP, comenta-se que o autor da denúncia seria um membro do grupo de swingers. Agora, pais de alunos e líderes religiosos incendeiam uma campanha contra o funcionamento do clube para troca de casais. Para driblar a lei e fugir dos opositores, o clube virou a 'Uniter Fellowship Center' - o salão de dança foi transformado em santuário. Dois aposentos, chamados de calabouços, foram rebatizados com nomes religiosos. A maior parte das 49 cabines sexuais permanece intacta, porém algumas delas viraram salas de oração. A vereadora Karen Bennett, que estudou na Goodpasture, disse que vai fiscalizar para garantir que o clube de swing funcione mesmo como igreja. "Já ouvi dizer que muitas, muitas pessoas planejam frequentá-la quando abrir", disse. O advogado do clube "convertido" disse que os membros da igreja não farão sexo no "templo".

Baianão: Colo Colo e Juazeirense brigam por participação inédita na Copa do Nordeste

Baianão: Colo Colo e Juazeirense brigam por participação inédita na Copa do Nordeste
Foto: Divulgação
Mesmo sendo eliminados nas semifinais do Campeonato Baiano, o clima de decisão ainda não passou para Colo Colo e Juazeirense. Neste sábado (25), às 17h, no Estádio Mário Pessoa, em Ilhéus, os clubes do interior iniciam a disputa do terceiro lugar do estadual e buscam uma classificação inédita para a Copa do Nordeste de 2016. Apesar da vantagem da Juazeirense na disputa, a torcida doColo Colo está confiante e pretende comparecer em bom número ao estádio. Quem confirma essa confiança é o técnico do tigre, Duzinho. "A torcida está muito confiante em um bom resultado, se passarmos, a cidade ficará em festa. Temos que fazer por merecer essa vaga, temos que jogar com seriedade para conquistar este objetivo", afirmou.
 

Colo Colo conta com o apoio da sua torcida para vencer o jogo. Foto: Alfredo Filho/Ilhéus 24h
 
A equipe, que surpreendeu ao eliminar o Vitória nas quartas de final do certame, agradou o treinador neste período. "A minha equipe surpreendeu. Começamos desacreditados e vencemos os adversários. Infelizmente não conseguiumos chegar até a final, mas o grupo está de parabéns", completou. O time do sul baiano contará com o retorno do lateral Danilo, que estava lesionado, além do goleiro Waldson e o atacante Xande, expulsos na primeira partida das semifinais contra o Vitória da Conquista, retornam à equipe. Pelo lado da Juazeirense, a confiança também é grande. De acordo com o técnico Quintino Barbosa, a equipe irá manter a pegada para enfrentar o time de Ilhéus. "É um jogo de 180 minutos e nada vai se decidir no Mário Pessoa. O Colo Colo é um time forte e sei do potencial deles. Tanto nós como o Colo Colo temos condições. Vamos ver de que forma iremos atuar. Serão duas partidas muito equilibradas, mas vamos jogar o nosso futebol e dar o máximo para nos classificar", disse. O técnico fará duas alterações no cancão de fogo para a partida. Fernando irá entrar no lugar do lateral Adriano Chuva, suspenso, e Robinho entrará no lugar do volante Naldo, que está se recuperando de uma virose. A partida terá a arbitragem de Marielson Alves Silva, com o auxílio de José dos Santos Amador e Claudio Santos Oliveira.

Juazeirense terá duas mudanças para jogo contra o Colo-Colo. Foto: Reprodução/TV Bahia

Jovem morre vítima de enforcamento na cidade de Várzea da Roça



No fim da tarde desta sexta-feira, 24 de abril de 2015, por volta das 17h30min, um jovem de prenome Danilo morreu vítima de enforcamento na cidade de Várzea da Roça.
De acordo com informações da Polícia Militar, o jovem subiu em uma caixa d'água, amarrou uma corda no pescoço e se enforcou.
O fato aconteceu no quintal da casa que o jovem morava, na Praça Topógrafo Pedro Magalhães. O jovem ainda foi socorrido, mas já chegou sem vida no Hospital Municipal João Sales Rios, de Várzea da Roça.

Da redação do Blog Agmar Rios

Nos pênaltis, Jacuipense elimina Paraná e avança na Copa do Brasil


Em pleno Estádio Durival de Britto, a Jacuipense eliminou o Paraná da Copa do Brasil na noite desta quinta-feira (23), na cidade de Curitiba. O time do interior baiano jogou melhor e venceu por 1 a 0 com gol de Nadson, devolvendo o placar imposto pelo time paranaense na partida de ida, em Riachão do Jacuípe. Na disputa de pênaltis, a equipe comandada por Clebson Beleza converteu todas as cobranças e, com direito a defesa do goleiro Edvando Pezão, venceu por 5 a 4 e passou para a próxima fase da competição, onde enfrentará o Náutico.

IPVA: Desconto de 5% para carros com placa de número final 3


Os proprietários de veículos com placa de final 3 têm até o dia 27 de abril para aproveitar o desconto de 5% no pagamento do Imposto Sobre Propriedade de Veículo Automotor (IPVA). O benefício é válido apenas para o pagamento à vista. Para quem preferir, é possível parcelar o imposto em três vezes, com o vencimento da primeira cota também no dia 27. Outra opção é efetuar o pagamento integral do imposto, sem desconto, até o dia 29 de junho. 
O contribuinte que optou pelo parcelamento do IPVA também deve estar atento ao pagamento das parcelas que ocorrem no mês de abril. Para carros com placa de final 2, o pagamento da segunda cota deve ser feito até o dia 29. Já para os carros com placa de final 1, a data limite para efetuar o pagamento da terceira cota é o dia 30. 
As datas de pagamento das demais cotas e placas podem ser conferidas no calendário do IPVA 2015, disponível no site da Sefaz-Ba (www.sefaz.ba.gov.br => Inspetoria Eletrônica => IPVA => Calendário). 
Para efetuar o pagamento, basta dirigir-se a uma agência ou caixa eletrônico do Banco do Brasil, Bradesco ou Bancoob, com o número do Renavam em mãos. Em caso de dúvida, o cidadão pode entrar em contato com o call center da Sefaz, pelo 0800 071 0071.

Por: Tribunadabahia

Aprenda a desvendar as chamadas não identificadas que ligam para o seu celular



Quando ligam para o seu celular de um número não identificado é comum ficar receoso em atender. Em casos indesejáveis a ligação pode ser uma armadilha para golpes e trotes. Todavia, também pode se tratar de pessoas de nosso convívio. Pensando nessa hipótese, a BBC reuniu aplicativos que visam desvendar o mistério das chamadas desconhecidas.


Confira a lista:

1) Trap Call: Está disponível para Android e iOS e ao receber uma chamada de número desconhecido, é possível recusá-la apertando duas vezes no botão de bloqueio. Em seguida, o app envia uma mensagem de texto com o telefone de quem fez a chamada e se ele está vinculado a um endereço específico. O aplicativo também oferece a opção de incluir os número não desejados em uma lista negra.


2) True Caller: Disponível para iOS, Android, BlackBerry OS e Windows Phone, ele também pode ser usado por meio de sua página na internet. O aplicativo funciona com uma base de dados de milhões de números previamente identificados. Após reconhecê-los, o app permite que eles sejam bloqueados.


3) Contative: Serve para identificar números de telefone desconhecidos e seus desenvolvedores afirmam que ele pode revelar mais de 60 milhões de números. Qualquer pessoa poderia buscas um número de telefone na internet e possivelmente poderia encontrar um nome vinculado a ele.


4) Track Caller Location: Para utilizar não é preciso estar conectado à internet e permite descobrir a localização do autor da chamada, apenas se o celular dele use sistema GSM.


5) Whoscall: O app filtra 20 milhões de chamadas por dia e identifica meio milhão delas como desonestas e problemáticas. Ao identificar os números não desejados, o app permite bloquear suas ligação e mensagens de texto.


6)Whos Callin?: É capaz de detectar quem está por trás de um texto de WhatsApp e também permite reconhecer a origem dos textos enviados pelo Messenger da rede social Facebook e tem a possibilidade de configurar smartphones pra filtrar as chamadas em função dos contatos.
Fonte: Ibahia

Grupo faz dois reféns que voltavam de micareta de Feira após explodir caixas





Bandidos explodiram dois caixas eletrônicos em Conceição do Jacuípe (Berimbau), na região de Feira de Santana, cidade a 100 quilômetros de Salvador, na madrugada desta sexta-feira (24). Segundo a polícia, após o ataque, cerca de dez homens armados fizeram duas pessoas reféns que voltavam da micareta de Feira, que começou na quinta-feira (23). A ação ocorreu por volta das 2h40 e durou cerca de 15 minutos.

A Polícia Militar informou que, um dos reféns que conduzia um veículo teve a chave do carro roubada pelos suspeitos. Após a explosão, a agência da Caixa ficou parcialmente destruída.
Ainda segundo a polícia, após o ataque, o grupo seguiu com os reféns até a unidade do Banco do Brasil. A PM informou que os bandidos desistiram da nova explosão, liberaram os reféns e fugiram .

G1

Falsos agentes de segurança são presos em Micareta de Feira de Santana




Um grupo de 12 agentes de segurança foi detido por se passar por policiais militares durante a primeira noite da Micareta de Feira de Santana. O grupo agia de forma clandestina quando foi preso durante a madrugada desta sexta-feira (24), informou a Polícia Civil. Segundo o comandante do Policiamento Regional leste, Coronel Adelmário Xavier, disse que os falsos agentes utilizavam equipamentos de segurança pública, o que não é permitido. 

Durante a ocorrência foram apreendidos coletes dom tarja de agentes especiais, cartucheiras, pares de algemas, cassetetes e uma faca. Um dos agentes que foi detido afirmou que o grupo costuma atuar nas ruas da cidade, segundo o Acorda Cidade.

sábado, 18 de abril de 2015

Homem é condenado a indenizar ex-colega de trabalho por chamá-lo de ‘neguinho’


Homem é condenado a indenizar ex-colega de trabalho por chamá-lo de ‘neguinho’
Foto: Reprodução
A 10ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) condenou um homem a pagar indenização de R$ 5 mil por racismo contra um antigo colega de trabalho a quem ele frequentemente chamava de “neguinho”. O autor da ação relatou que sofreu dano moral com o termo ofensivo, que faria “clara e preconceituosa alusão à cor de sua pele”. Já o réu argumentou que, quando o colega demonstrou desagrado com o termo, deixou de utilizar a palavra e até pediu desculpas. Ele alegou ainda que a palavra não possui cunho racista e que é aceita pela sociedade, sendo usado, inclusive, para denominação artística. Segundo o réu, o termo poderia ser substituído por “alguém”, “pessoa” ou “gente”. O pedido de indenização havia sido rejeitado em primeira instância, mas o TJ-SP entendeu que a forma de tratamento foi ofensiva. O relator da ação, desembargador César Ciampolini, entendeu que “se era apenas ao autor que o réu se dirigia desse modo, cai por terra a alegação de que a expressão era utilizada em sentido amplo, equivalente a ‘pessoas’. Se assim não fosse, chamaria todos aqueles que estavam com ele por ‘neguinho’, não somente [o colega]. Em seu voto, Ciampolini citou três testemunhas que declararam ter percebido que o autor sentia-se ofendido com a prática frequente. Ainda segundo o desembargador, o réu tem antecedentes “que desfavorecem sua tese”: uma ação na esfera trabalhista reconheceu que ele havia chamado outra pessoa de “negro sujo”.

Sheherazade defende redução da maioridade penal e discute com apresentador de Pânico


Foto: Reprodução

Em entrevista à rádio Jovem Pan, a jornalista Rachel Sheherazade, que já esteve imersa em várias polêmicas por suas opiniões, entrou em discussão com o entrevistador, o apresentador do Pânico no Band, Emílio Surita, ao defender a redução da maioridade penal. Surita começou a rebater a âncora do SBT Brasil, que afirmou que “o crime é uma questão de escolha” e que “um adolescente do Brasil tem acesso às mesmas informações do que um adolescente na Noruega”. O apresentador argumentou, por sua vez, que a defesa da redução é uma estratégia de políticos para ganhar votos.



Foto: Reprodução“‘Menorzinho bandidinho vai para a cadeia’ ganha voto. Assustar a população ganha voto para ‘cacete’.”, afirmou ele, que questionou também a meritocracia mencionada por Sheherazade. “Nesse sistema, só ‘winner’ [do inglês, vencedor] ganha”. Nesta semana, a jornalista passou por outra controvérsia nesta semana. Na última terça-feira, Sheherazade reclamou em sua página do Facebook da “drástica diminuição do alcance de nossa página”, o que a fez suspeitar que a causa poderia ser “visitinha da Presidente ao Mark Zuckberg”. Vários outros perfis na rede social repercutiram a postagem de Sheherazade. O personagem “Dilma Bolada”, devolveu a desconfiança: “Se me preocupasse com a Sheherazade, não pediria pro Mark zoar a página dela...pediria pro Obama enviá-la numa sonda da Nasa para Marte, né?”.